quinta-feira, 23 de julho de 2015

O Problema Do BES É Da Justiça

© Richter Frank-Jurgen FREE CONTENTE LICENCE
Assisto com espanto à continuação dos protestos dos famosos lesados do Banco Espírito Santo. Pessoas que aplicaram as poupanças de uma vida de trabalho num produto financeiro de altíssimo risco e que agora se vêm sem o seu retorno.

É compreensível que o desespero os leve às ruas. Percebo as dificuldades porque podem estar a passar. Aquilo que não se compreende é que os cartazes que empunham tenham as caras de Carlos Costa, Passos ou Portas. Esses são só os incompetentes que sempre conviveram promiscuamente com os poderes financeiros. Os verdadeiros responsáveis pelas situações de desespero são Salgado, Ricciardi, Sobrinho e outros.

O protesto é sempre aceitável. Mas não é tolerável que se faça uma pressão deste nível sobre as instituições políticas, quando o problema deve ser resolvido pelas instituições judiciais.

Estas pessoas foram enganadas ou até mesmo ambiciosas de mais. Já se ouviram casos de assinaturas de contratos de cruz e até já se ouviram casos de instruções falsas deliberadas para que subscrevessem os produtos de altíssimo risco.

Enquanto cidadão não vou tolerar que este problema se resolva nos gabinetes de S. Bento. São os tribunais que devem encontrar os responsáveis pela situação, procurar o dinheiro e entrega-lo a quem de direito. Mas também é preciso identificar os ambiciosos a quem o BES criou água na boca com taxas de juro elevadíssimas e com prefeita noção do risco.

Sem comentários:

Publicar um comentário